15
Fev 10

Eu ainda estou doente. Vou explicar.

Sexta feira passada foi dia de receber o salário aqui na empresa. Eu trabalho no escritório de uma empresa de construção, que financeiramente vai de mal para pior.

Qual não é o meu espanto ao receber, quando vejo que me foi descontado uma quantia bastante avultada. Eu em Janeiro estive uns dias de férias, o que faltava gozar do ano anterior, mas o senhor patrão resolveu descontar-me esses dias no salário.

Eu fiquei e ainda estou com vontade de "#"#%/$(%)//$%&$%#&% é melhor nem explicar.

Quer dizer, continuo com os dias das férias por gozar e rombo no salário.

Maldita empresa, maldito patrão que pensa ser o dono do mundo e que é ele quem faz as leis.

Acabou-se!!! Trabalhava 9horas por dia e esse senhor só me pagava o salário mínimo e nem o subsídio de alimentação me dá.

Pois este foi o fim, acabaram-se as 9horas de trabalho, a partir de hoje só faço 8h. É a lei e é o que tenho no contracto de trabalho. E acabou-se também andar aqui a receber quase uma esmola. Ou me paga o que tenho no contracto ou não assino recebi nenhum e vou com ele para o Tribunal de Trabalho.

Eu sei que vai ser uma guerra. que qualquer dia chego aqui e ele não me deixa trabalhar, mas se isso acontecer irei logo ao Tribunal de Trabalho, é para isso que existe certo?

Eu nem sei o que chamar a isto. Discriminação? Talvez. Um mente muito fechadinha do senhor? Também.

Ao certo não sei o que é isto.

Só sei que eu não posso continuar assim. Ando doente, não durmo direito, quando acordo e penso que é dia de trabalho tremo toda.

Se ele não me quer cá que me mande embora. Estou a contracto, foi renovado à pouco tempo, era melhor não ter sido.

Enfim escrevi um testamento, mas precisava "desabafar".

Tenho a certeza que há mais pessoas na mesma situação que eu. Lá está, os patrões fazem o que querem.

 

publicado por dama-de-copas às 13:25
sinto-me: muito triste

A verdade é que quanto mais as pessoas se "baixam", recorrendo ao "ai, eu preciso, tem que ser, se não for assim venho para a rua...." mais abusam. Sim, é verdade, precisamos, mas às vezes às custas de quê? De não se ter vida, de se adoecer, de ser cada vez mais rebaixado. Nós precisamos e eles também. E nos dias que correm é quase certo que se vem para a rua mais cedo ou mais tarde...é reciclagem.
Já se sabe que em todo o lado se têm que engolir sapos, uns maiores outros menores, mas fazerem pouco das pessoas já não se engole... Mas isto sou eu, que sou uma refilona de 1ª e estou sempre de dedo espetado! ;) E cada um conhece os seus limites
Que melhores dias venham, é o que desejo.
Raquel Lucas a 17 de Fevereiro de 2010 às 16:03

Muito obrigado Raquel pelas suas palavras.
Eu não cedo mas tenho medo do que aí vem.
O desgraçado hoje ameaçou-me que se hoje só fizesse as 8h de trabalho amanha põe outra pessoa no meu lugar e a mim põe-me na cozinha sem fazer nada. Eu sou funcionária de escritório, tenho no recebi e no contrato funcionária administrativa. O que é certo é que hoje apenas fiz as 8h e até tremo a pensar no que pode vir por aí.
Eu preciso tanto do dinheiro, se tivesse para onde ir trabalhar amanha nem colocava lá os pés.
Ando doente. O pior é que o meu pai é motorista na mesma empresa e anda doente também.
Como vê a minha vida está um caos.
Mas muito obrigado pelo seu testemunho.
Um beijinho
dama-de-copas a 17 de Fevereiro de 2010 às 17:41

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

14
17
18
20

21
26
27

28


RSS
Visitantes
Tracking Visitors
Visit Counter
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
as minhas fotos
Dama de Copas no Flickr
Dama de Copas no Facebook
Dama de Copas no Twitter
Contactar a Dama de Copas