15
Fev 10

Eu ainda estou doente. Vou explicar.

Sexta feira passada foi dia de receber o salário aqui na empresa. Eu trabalho no escritório de uma empresa de construção, que financeiramente vai de mal para pior.

Qual não é o meu espanto ao receber, quando vejo que me foi descontado uma quantia bastante avultada. Eu em Janeiro estive uns dias de férias, o que faltava gozar do ano anterior, mas o senhor patrão resolveu descontar-me esses dias no salário.

Eu fiquei e ainda estou com vontade de "#"#%/$(%)//$%&$%#&% é melhor nem explicar.

Quer dizer, continuo com os dias das férias por gozar e rombo no salário.

Maldita empresa, maldito patrão que pensa ser o dono do mundo e que é ele quem faz as leis.

Acabou-se!!! Trabalhava 9horas por dia e esse senhor só me pagava o salário mínimo e nem o subsídio de alimentação me dá.

Pois este foi o fim, acabaram-se as 9horas de trabalho, a partir de hoje só faço 8h. É a lei e é o que tenho no contracto de trabalho. E acabou-se também andar aqui a receber quase uma esmola. Ou me paga o que tenho no contracto ou não assino recebi nenhum e vou com ele para o Tribunal de Trabalho.

Eu sei que vai ser uma guerra. que qualquer dia chego aqui e ele não me deixa trabalhar, mas se isso acontecer irei logo ao Tribunal de Trabalho, é para isso que existe certo?

Eu nem sei o que chamar a isto. Discriminação? Talvez. Um mente muito fechadinha do senhor? Também.

Ao certo não sei o que é isto.

Só sei que eu não posso continuar assim. Ando doente, não durmo direito, quando acordo e penso que é dia de trabalho tremo toda.

Se ele não me quer cá que me mande embora. Estou a contracto, foi renovado à pouco tempo, era melhor não ter sido.

Enfim escrevi um testamento, mas precisava "desabafar".

Tenho a certeza que há mais pessoas na mesma situação que eu. Lá está, os patrões fazem o que querem.

 

publicado por dama-de-copas às 13:25
sinto-me: muito triste

A verdade é que quanto mais as pessoas se "baixam", recorrendo ao "ai, eu preciso, tem que ser, se não for assim venho para a rua...." mais abusam. Sim, é verdade, precisamos, mas às vezes às custas de quê? De não se ter vida, de se adoecer, de ser cada vez mais rebaixado. Nós precisamos e eles também. E nos dias que correm é quase certo que se vem para a rua mais cedo ou mais tarde...é reciclagem.
Já se sabe que em todo o lado se têm que engolir sapos, uns maiores outros menores, mas fazerem pouco das pessoas já não se engole... Mas isto sou eu, que sou uma refilona de 1ª e estou sempre de dedo espetado! ;) E cada um conhece os seus limites
Que melhores dias venham, é o que desejo.
Raquel Lucas a 17 de Fevereiro de 2010 às 16:03

Muito obrigado Raquel pelas suas palavras.
Eu não cedo mas tenho medo do que aí vem.
O desgraçado hoje ameaçou-me que se hoje só fizesse as 8h de trabalho amanha põe outra pessoa no meu lugar e a mim põe-me na cozinha sem fazer nada. Eu sou funcionária de escritório, tenho no recebi e no contrato funcionária administrativa. O que é certo é que hoje apenas fiz as 8h e até tremo a pensar no que pode vir por aí.
Eu preciso tanto do dinheiro, se tivesse para onde ir trabalhar amanha nem colocava lá os pés.
Ando doente. O pior é que o meu pai é motorista na mesma empresa e anda doente também.
Como vê a minha vida está um caos.
Mas muito obrigado pelo seu testemunho.
Um beijinho
dama-de-copas a 17 de Fevereiro de 2010 às 17:41

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

14
17
18
20

21
26
27

28


RSS
Visitantes
Tracking Visitors
Visit Counter
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
Dama de Copas no Flickr
Dama de Copas no Facebook
Dama de Copas no Twitter
Contactar a Dama de Copas